São Miguel do Oeste, 134, Sala 101 - Centro, São Miguel do Oeste - SC, 89900-000
  • (49) 3622-2139
  • (49) 3645-0254
  • (49) 98806-3729

IPCA para 2018 passa de 3,94% para 3,89%, prevê Focus -

Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA de 2018 e 2019. O Relatório de Mercado Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira (3) pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo este ano passou de alta de 3,94% para elevação de 3,89%. A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano sofreu leve recuo, caindo de 1,39% para 1,32%. Há quatro semanas, a estimativa era de crescimento de 1,36%. Para 2019, o mercado alterou a previsão de alta do PIB, de 2,50% para 2,53%, ante 2,50% de um mês antes. Sobre o IPCA, há um mês a previsão era de 4,40%. A projeção para o índice no próximo ano foi de 4,12% para 4,11%. Quatro semanas atrás, estava em 4,22%. O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2020, que seguiu em 4,00%. No caso de 2021, a expectativa foi de 3,86% para 3,78%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 4,00% e 3,97%, nesta ordem. A projeção dos economistas para a inflação em 2018 está abaixo do centro da meta deste ano, de 4,5%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 3,0% a 6,0%). Para 2019, a meta é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto (de 2,75% a 5,75%). No caso de 2020, a meta é de 4,00%, com margem de 1,5 ponto (de 2,5% a 5,5%). Já a meta de 2021 é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). No dia 7 de novembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA de outubro subiu 0,45%. No ano, o índice acumula alta de 3,81% e, em 12 meses, de 4,56%. No fim de outubro, ao manter a Selic (a taxa básica de juros) em 6,50% ao ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções para a inflação. No cenário de mercado, que utiliza o câmbio e os juros projetados no Focus como referência, a expectativa para o IPCA em 2018 é de 4,4%. Para 2019, a projeção é de 4,2% e, para 2020, de 3,7%. Em setembro, o BC havia reduzido sua projeção para o PIB em 2018, de 1,4% para 1,4%. Além disso, a instituição anunciou sua estimativa para o PIB em 2019, de alta de 2,4%. Essas atualizações foram feitas por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI). Na última sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB cresceu 0,8% no terceiro trimestre, ante o segundo trimestre. Em relação ao terceiro trimestre de 2017, houve expansão de 1,3%. No relatório Focus desta segunda-feira, a projeção para a produção industrial de 2018 seguiu com incremento de 2,16%. Há um mês, estava em 2,22%. No caso de 2019, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 3,02%, ante 3,24% de quatro semanas antes. A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2018 foi de 54,10% para 54,00%. Há um mês, estava em 53,90%. Para 2019, a expectativa passou de 57,13% para 57,03%, ante os 56,40% de um mês atrás.  - Fonte: Jornal do Comércio 

Data: 03/12/2018

Compartilhar: